Condições de exportação

(relacionado: Aradik no mundo)

 

Exportar um cão é sempre uma responsabilidade acrescida para um criador. Não só porque cada exemplar exportado será a imagem do canil no país para onde for como, no caso de raças raras como duas das nossas, cada um será inclusive o espelho da raça nessa área. Assim, no Canil de Aradik, apenas exportamos os melhores exemplares que tivermos, aqueles que nós próprios manteríamos no nosso plano de criação.

 De uma forma geral, apenas exportamos cachorros a partir dos 4 meses. Com esta idade, os dentes já começaram a mudar e, nos machos, os testículos já desceram, pelo que podemos ter maiores garantias quanto a estes aspectos. Adicionalmente, ao acompanhar o desenvolvimento do cachorro até pelo menos esta idade poderemos ter uma maior garantia quanto à sua qualidade morfológica e ao tipo de pelagem, nomeadamente no caso do Barbado da Terceira – sendo uma raça de maior porte, tem um desenvolvimento mais lento. Há casos de cachorros muito prometedores aos 2 meses que aos 4 meses não cumpriram a sua promessa, ou vice-versa – cachorros que não se destacavam aos 2 meses que pelos 4 em diante vieram a revelar-se de óptima qualidade.

O carácter é para nós tão ou mais importante que a morfologia. Apenas exportamos exemplares que consideramos corresponderem às características da raça e do que nós próprios desejamos a nível de índole, não o fazendo no caso de cachorros excessivamente tímidos ou reservados, por exemplo.

Devido ao facto de apenas exportarmos animais a partir dos 4 meses, naturalmente fazemos um trabalho acrescido a nível da socialização dos cachorros.

 Estes são os princípios básicos de exportação pelos quais nos regemos. Em raras ocasiõespoderemos ser mais flexíveis na questão da idade, mas sujeito a que seja requerido ao proprietário a assinatura de um documento indicando que foi por sua opção que o cachorro foi adquirido antes da idade recomendada pelo criador, pelo que este não poderá ser responsabilizado por taras não detectáveis à idade de exportação.

 Em qualquer ninhada, reservamo-nos o direito de não exportar nenhum exemplar, se considerarmos que nenhum cachorro reúne os nossos requisitos para tal.