Morfologia do Barbado da Terceira

Ver também:    [Estalão]    [Comentários ao estalão]

Ch Cortiça de Aradik

Para ver fotos ilustrando diferentes exemplares e linhas de criação, clique aqui.

 

O Barbado da Terceira é um cão de médio porte, de aspecto volumoso e robusto. As alturas e pesos são de 52 a 58 cm e 25 a 30 Kg para os machos, 48 a 54 cm e 21 a 26 Kg para as fêmeas, com uma tolerância no porte entre os 48 e os 60 cm.

A cabeça é forte, com eixos craniofaciais paralelos. O chanfro é relativamente curto e largo, com amplas barbas, que dão o nome à raça. O nariz é amplo e cubóide, dando um aspecto característico à face. Os olhos são muito expressivos, denotando inteligência e travessura; a cor varia entre o mel e o castanho-escuro, mas não devem ser parcial ou totalmente azuis. As orelhas são de tamanho médio, pendentes e de inserção alta. O pescoço é sólido e bem musculado. O tronco, volumoso e de peito profundo, é apenas ligeiramente mais comprido que a altura ao garrote. A cauda tem implantação média a baixa; normalmente é longa, chegando pelo menos ao curvilhão, mas admitem-se também os exemplares anuros. Os membros são bem musculados e de ossatura larga; os posteriores são bem angulados, denotando uma boa capacidade de impulsão.

 Tal como no caso do Cão de Fila de S. Miguel, também no Barbado tradicionalmente a cauda é amputada e as orelhas são cortadas em redondo. Hoje em dia, já é relativamente comum ver cães de orelhas inteiras, sendo porém ainda raros os exemplares de cauda inteira - devido à idade em que as amputações são feitas, o corte ou não de orelhas é uma opção do dono do cão, enquanto que o da cauda é decidido pelo criador.

No canil Aradik, não cortamos nem orelhas nem caudas. Qualquer exemplar por nós criado será entregue ao natural!

Pode ler as nossas razões para tal neste post do blog.

 

Cães com orelhas naturais e cortadas

Cães com orelhas inteiras (Multi-Ch Figo e Multi-Ch Sheila) e com orelhas cortadas (Ch Adágio)

O pêlo é longo e ligeiramente ondulado, com subpêlo abundante. As pelagens actuais são muito variadas tanto em termos de cor como de textura, mas não devem ser ásperas. As cores mais comuns são o preto, o cinzento, o fulvo e o amarelo, em diferentes tonalidades da mais escura à mais clara, quase branca, mas todas as cores são aceites excepto o castanho e o merle (ver comentários ao estalão para um maior desenvolvimento quanto a esta questão).

É normal e frequente os cães nascerem com uma tonalidade mais escura, que ao longo dos primeiros meses de vida irá aclarar gradualmente até ao seu tom final. Por exemplo, um exemplar que tenha nascido fulvo escuro poderá ser em adulto quase branco, e os Barbados cinzentos terão nascido pretos. Nestas situações, quando o cão sofre um ferimento que leve à perda de pelo na zona, o novo pelo que nasce irá apresentar a cor “original”, aclarando depois progressivamente ao longo dos meses.

Evolução de cores

Ch Ali-Babá de Aradik e Ch Ananás de Aradik aos 2 meses (esquerda) e em adultos (direita))

Os Barbados podem apresentar manchas brancas na cabeça, pescoço, peito, ventre, membros e ponta da cauda. Historicamente, os exemplares “encoleirados” (com branco à volta do pescoço) e de “frente aberta” (com mancha branca na cabeça e chanfro) eram os preferidos para trabalho.

Antigamente era comum os cães terem presunhos nos membros posteriores (simples ou duplos). Esta é uma característica apreciada pelos lavradores (tal como ocorre em numerosas raças de cães de pastoreio ou de protecção de rebanhos), pelo que tipicamente não são cortados. Hoje em dia, a sua ocorrência parece não ser tão frequente.